Seguidores

TRADUTOR

sábado, 3 de junho de 2017

VIAGEM A UM NAVIO TUMBEIRO



Viajei por altos mares,
do Brasil colonial,
navio tumbeiro visitei,
a maldade do humano desumano conheci,
pelos negros aprisionados,
torturados e mortos,
chorei.


Um choro que de vergonha me cobriu,
vergonha do homem branco poderoso,
que a ganância se entregou,
tão superior se achando,
que até de Deus duvidou,
então eu clamei,
Sua justiça me mostrou.


A cortina do céu se abriu,
vi os negros mortos,
por luzes em festa serem recebidos,
mas vi o branco morto poderoso,
por garras invisíveis ser puxado,
no abismo mais profundo trancafiado,
até o dia do seu sincero arrependimento.


Então nesta minha viagem,
ainda vi os negros na luz orando,
por aquele branco pedindo,
energias de amor a ele enviando,
que como bálsamo iam agindo,
aquele homem branco sustentando,
por milênio até que ele por Deus clamou.


De minha viagem voltei,
dando ao Criador graças,
porque a todos dá conforme suas obras,
mas sempre ao caído proporcionando,
uma nova chance para a evolução,
tudo no tempo certo,
não há pressa pois imortal é o espírito.


Luconi
03-06-2017



Gente viajei mesmo, através de um lindo livro que fiz revisão e me proporcionou essa inspiração, vai demorar um bocadinho ainda para a edição, mas assim que isto acontecer trago aqui, para que vocês também viajem e conheçam a Sabedoria Divina. 

6 comentários:

  1. Imagino a tua viagem e mergulho a fundo nesse tema..Ficou linda a poesia! bjs, ótima semana,chica

    ResponderExcluir
  2. Que poema sentido e belo!
    Bom domingo e uma excelente semana
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  3. Que momento intenso, Luconi! Com certeza houve um grande desgaste emocional nessa sua viagem. Ótimo trabalho você tem realizado. Sucesso!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Um lindo poema que é uma homenagem a esses pobres negros desalojados de suas terras, muitas vezes separados de suas famílias... para irem ser escravos em terras distantes.
    E tudo porque a ambição do homem não tem, e nunca teve, limites.
    Gostei imenso, Luconi.

    Votos de uma semana muito feliz.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  5. Belíssimo poema e inspiradora postagem!
    Amei!
    E também amei a sua visita .
    Um beijo

    ResponderExcluir

SEJAM BEM VINDOS SEU COMENTÁRIO É UM INCENTIVO E CARINHO

LUCONI